Atentimento Online

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas informações

Notícias

Treino recuperação: respeitar os limites do corpo é importante na hora de fazer atividades físicas

O overtrainning é o principal responsável pelas interrupções prolongadas nos treinos de uma atividade esportiva. Muitas vezes, além das dores é possível que o esportista (profissional ou amador) tenha ainda de fazer sessões de fisioterapia para voltar à sua normalidade.

“A importância de um treino de recuperação é evitar que a repetição de certos movimentos leve a um problema de saúde. Em vez de treinar exaustivamente o mesmo conjunto de movimento – o que é a base para se tornar um bom atleta ou esportista – o melhor é espaçar esses treinos, sem sobrecarregar o corpo”, explica André Pedrinelli, chefe do setor de Medicina Esportiva do Hospital Santa Catarina, em São Paulo.

Pedrinelli explica que o treino de recuperação não interrompe os ganhos com as rotinas mais fortes. Ao contrário, é justamente ter uma variação nessas quantidades ou cargas de exercícios que vai garantir que o treino seja uma rotina de evolução.

“O corpo se desenvolve com sobrecarga. Então, com o passar do tempo, todo esportista tem de aumentar seus treinos e, portanto, seus limites. Mas intercalar com rotinas mais leves, que alternem os conjuntos de músculos usados e o tempo de exercício, auxilia o organismo para estar sempre pronto para o próximo nível no treino de evolução”, diz o especialista.

Esse tipo de treino é especialmente necessário após uma competição, por exemplo. “Depois de um estresse físico – ou mesmo emocional – como aqueles enfrentados em competições, é preciso fazer que o metabolismo volte a um nível ideal (que varia entre os indivíduos) ao mesmo tempo em que não se perde o treino feito anteriormente nem sobrecarregue o corpo que está se recuperando do excesso de atividade”, diz.

Treino de recuperação ajuda a manter a qualidade do treino
O treino de recuperação é, portanto, um profilático para o overtrainning. Mas se mesmo assim as dores ou problemas continuarem, o especialista indica que é bom observar se o indivíduo não está desenvolvendo o chamado “overuse” do corpo.
“O overtrainning é algo relacionado ao treino em si. Se a pessoa – especialmente os esportistas eventuais – não excedeu seu limite, faz o treino de recuperação e não tem outros problemas extrínsecos ao esporte, como uso de calçado ou equipamentos de segurança inadequados, então o problema pode ser o overuse“, explica.

Basicamente, o overuse é o uso excessivo de um conjunto de músculos e articulações, mas que pode ter origem fora do esporte, como no trabalho. Corredores que ficam muito tempo no trânsito podem ter dores nos calcanhares, mas isso não é relacionado com a corrida em si, mas aos problemas causados por movimentos repetitivos (como o uso do acelerador no automóvel).

“Por isso, se o indivíduo se cuida, faz a recuperação adequada, tem uma boa alimentação e mesmo assim tem problemas e dores durante a atividade física, é bom observar essas questões também. O ideal é procurar um especialista em medicina esportiva e verificar o que está acontecendo”, finaliza Pedrinelli.

« voltar às notícias