Atentimento Online

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas informações

Notícias

Entenda sua lesão

Em nossa experiência clínica e de prática esportiva, percebemos que uma das questões que mais geram ansiedade nos atletas lesionados é a não compreensão da sua lesão. Em primeiro lugar, “o que eu tenho?!”.

Muitas vezes as lesões crônicas são difíceis de se diagnosticar. Radiografias, ressonâncias magnéticas, exames de sangue, testes disto e daquilo. A ressonância mostra uma hérnia de disco, mas a hérnia não explica a dor que você sente, foi um achado, a causa é outra, “mas então, o que eu tenho?!”

Algumas vezes, acontece de a dor desaparecer e o atleta ainda não ter compreendido o que teve. Como não houve a compreensão do que ocorreu, vem o medo “E se eu tiver de novo?!”. Além disso, a dor assume uma faceta mística assim como o tratamento. É comum, nestes casos, ouvir: “Fui a vários médicos e nada resolveu. O que curou a minha dor foi…” e nestas reticências está toda a sorte de coisas, desde sebo de carneiro, dietas estranhas, remédios fitoterápicos, xamãnicos, benzedeiras e até um médico muito bom, um fisioterapeuta com uma ótima mão, um massagista chinês que deu um tranco não sei onde…

Compreender qual sua lesão é fundamental no processo de recuperação. Mas muitas vezes, nesta hora você ouve um nome esquisito. Fasciite plantar, periostite, pubeíte, espondiloartrose, síndrome miofascial, tendinopatia e por aí vai. “Mas o quê é isso??!!”. É a próxima pergunta. Pra jogador de futebol parece ser tudo mais fácil, tudo é contusão!

Em tempos de internet, o próximo passo é perguntar ao Mr. Google. Nessa hora, para o leigo, resta torcer para cair numa página com bom conteúdo, uma vez que na internet, cada um publica o que quer.

E é este o objetivo desta seção, tentar facilitar a compreensão da sua lesão para diminuir a angustia de não saber exatamente o que se tem. E, assim, facilitar o processo de reabilitação, permitindo traçar objetivos terapêuticos apropriados e decisões mais acertadas.

Nesta seção, abordaremos não só o que é a lesão, sua fisiopatologia, mas também as causas cinéticas mais comuns que levam a estas lesões. Quais os erros de movimento mais comuns no esporte que podem sobrecarregar a estrutura em questão e causar estas lesões que tanto atrapalham a vida do atleta.

Siga o R&C.blog, deixe seu comentário, faça perguntas. Assim, poderemos ajudá-lo a sanar suas dúvidas.


Fonte: RUN & CARE

« voltar às notícias