Atentimento Online

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas informações

Notícias

Uso de bandagem fisioterápica vira rotina entre atletas

Jogadores de basquete, vôlei, desportistas do atletismo e, principalmente do futebol têm explorado o procedimento, que ainda gera controvérsias.

Quem gosta de esporte já deve ter visto alguns atletas com umas fitas adesivas coloridas coladas diretamente no corpo durante as competições. O componente, que já se tornou inseparável, pelo menos dos atletas do vôlei, do atletismo e principalmente do futebol é um método indicado para prevenir e amenizar lesões musculares e articulares.

A Bandagem Elástica Terapêutica (B.E.T.), conhecida pelo grande público como KINESIO TAPING, existe há aproximadamente 40 anos e foi desenvolvida no Japão por Kenzo Kase.

“A B.E.T. é uma fita composta por um polímero elástico com 100% de algodão, não limitante e hipoalérgica. O objetivo é reduzir as dores em lesões musculares, alterações posturais, drenagem de edemas e hematomas, reposicionamento articular, auxiliando na redução das dores e, no caso de atletas, na melhora de sua performance, entre outros benefícios”, alega o fisioterapeuta André Torres, Membro da Confederação Mundial de Fisioterapia e Instrutor Sênior de Bandagem Elástica Terapêutica.

“A terapia através das bandagens dá apoio ou suporte externo aos músculos, sem limitar a ação dos mesmos. Através dela conseguimos relaxar uma musculatura tensa e também tencionar uma musculatura relaxada. Além disso, é possível diminuir a dor através da reposição de uma articulação”, completa o fisioterapeuta.

bandagem fisioterapia

Apesar da Bandagem aparentar simplicidade em sua execução, muitos conceitos estão por trás de sua aplicação, como por exemplo, a avaliação adequada do quadro do paciente, o conhecimento prévio de bases anatômicas e fisiológicas, cuidados com a aplicação e remoção da bandagem, a tensão colocada na fita antes do contato com a pele e a direção da aplicação. Todas estas técnicas de manuseio fazem parte do programa terapêutico da Bandagem Elástica Terapêutica.

“Apenas profissionais capacitados devem fazer uso deste método. É comum presenciar profissionais sem formação ou pessoas fazendo autoaplicação sem critérios. Isso pode ser prejudicial à saúde, pois, a utilização das fitas - sem o devido cuidado - tende a fazer com que o quadro piore”, alerta o especialista. De acordo com o André Torres, que é Diretor do Centro de Tratamento da coluna Vertebral – RJ, “estamos constantemente envolvidos em inovações e novas possibilidades terapêuticas. Em parceria com médicos, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, educadores físicos e psicólogos aprimoramos, a cada dia, nosso método próprio para a utilização da B.E.T”, finaliza.

Além da aplicação nos esportes, a Bandagem Elástica Terapêutica vem sendo utilizada com resultados satisfatórios em clínicas e centros de reabilitação motora e muitos estudos científicos já mostram comprovações de sua eficácia. 


Fonte: Revista Fator

 
« voltar às notícias