Atentimento Online

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas informações

Notícias

Saber ouvir também é tratar

O primeiro passo é investigar a causa da dor. A partir de sua origem é possível tratar com um arsenal de medicações de última geração. "Os analgésicos opiáceos e medicamentos de ação analgésica do gênero anti-inflamatório surtem bom efeito", diz Colhado.

A fisioterapia manual com alongamento das estruturas que podem causar a dor é indicado como tratamento paliativo. Paciência, amor e redenção. Adjetivos que podem promover verdadeira revolução ao longo da vida.

Eles também servem como antídoto à tristeza senil. Quando em problemas físicos, pede-se urgência em reforçar o padrão espiritual, o que se traduz em buscar a compensação energética, uma espécie de maior elevação do padrão espiritual, para evitar ‘black-out’ energético.

No atendimento aos idosos, é preciso saber ouvir. A carência é unanimidade na vida deles. Muitas vezes, filhos e netos estão presos em suas vidas e pouco tempo se dedicam aos que mais precisam.
"Os idosos têm um quadro de imunodepressão pelo próprio envelhecimento dos órgãos das células que combatem as infecções. Portanto, suas queixas têm fundamento", afirma.

escuta fisioterapia

O uso de relaxantes musculares, anti-inflamatórios e experimentos anticonvulsivantes têm se mostrado eficaz. "O tramadol - um opioide com propriedades farmacológicas similares aos antidepressivos - pode ajudar no controle da dor. Medicações como a lidocaína, vitaminas do complexo B, associados ou não a anti-inflamatórios podem ter um efeito terapêutico extraordinário, quando associados aos protocolos básicos de tratamento", explica.

O médico também prescreve, em alguns casos, injeção de anestésicos locais e alerta para os bons índices de sucesso, utilizando-se das armas da medicina alternativa como fonte extra terapêutica. "A acupuntura, a massagem e a fisioterapia manual também são de grande valor no tratamento da dor".


Fonte: O Diario
 
« voltar às notícias