Atentimento Online

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas informações

Notícias

Mães da cidade de Horizonte aprendem a proporcionar uma melhor qualidade de vida aos filhos especiais

Ter uma vida crescendo dentro de si é algo singular. É ter a certeza de que milagres existem. E, quando chega este momento, a mãe passa a existir em função de outro ser. Desde então, a hora de poder tocá-lo, beijá-lo, parece não chegar, mas os sonhos e pensamentos de como o bebê será passam a fazer parte da mulher desde quando ela sabe que está grávida. O futuro do filho começa a ser imaginado. No entanto, para algumas mães, este vir a ser fica incerto, pois, por algum motivo, seus filhos nascem com deficiências, que vão comprometer o desenvolvimento físico e neurológico dos pequenos. Porém, o importante é saber que o amor e a força delas para superar as dificuldades junto com eles é maior. E, no Município de Horizonte, as mulheres encontram apoio no "Luz do Amanhã - Projeto de Mães com Filhos Especiais".

Conforme a coordenadora do projeto, Regina Benea Moura Menezes, e terapeuta ocupacional, nos encontros que acontecem uma vez por mês, no Centro de Reabilitação Funcional - no Centro Integrado de Saúde Dr. Memória - as mães recebem orientação para saber como lidar melhor com os filhos. Trata-se de informação e treinamento dos pais, atualmente 50, sobre o desenvolvimento integral da criança especial.

Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional e Nutrição são áreas trabalhadas nas reuniões. Por meio de palestras educativas, oficinas e dinâmicas, o grupo de mães aprende a proporcionar às crianças uma vida melhor. "Com os encontros, além de desenvolver o estímulo nas crianças, é um momento no qual elas podem trocar experiências e mostrar suas superações. Queremos transmitir que elas foram abençoadas e devem se sentir orgulhosas pelos filhos que têm", disse Regina. Segundo ela, participam crianças de todas as idades, a maioria com paralisia cerebral, mas têm, também, com Síndrome de Down, microcefalia, entre outras deficiências. "Ensinamos às mães como estimularem os movimentos do corpo, como dar banho, como comer".

Para a fisioterapeuta Ana Kecia Queiroz, é gratificante o trabalho realizado no projeto. "Esclarecemos as patologias dos bebês e é muito bom a gente ver que tem resultado e que elas confiam na gente". Em função dos resultados, o projeto ganhou o Prêmio do Município Inovador, da Aprece. "É uma lição de vida. Esse projeto, que começou a funcionar em 2009, foi qualificado como inovador e vai servir como piloto para outros Municípios", disse Regina.

Segurança

As mães confirmam os benefícios. A dona de casa, Luíza Fernandes da Costa, de 40 anos, contou que ficou até mais segura depois que começou a participar do "Luz do Amanhã". "Eu achava que só eu tinha o problema, as pessoas ficavam olhando para minha filha, que hoje tem 17 anos. Aprendi a lidar com ela, a cuidar melhor. Não sabia mastigar, hoje come, anda, estuda. Agradeço a todos".

O filho da dona de casa, Ana Maria Pereira, de 48 anos, tem 6 anos e também teve paralisia cerebral, com a falta de oxigênio no momento do parto. "Antes, ele não se sentava, não se mexia, hoje já faz tudo isto. Sei que, um dia, ele ainda vai andar, com a graça de Deus". Assim também está o filho de Francisca Antônia Ferreira dos Santos, de 30 anos. "Este projeto é um aprendizado para a gente. Meu filho está ótimo, é um presente de Deus". Além de Regina e Kecia, fazem parte do projeto, a fonoaudióloga Ana Karine, os fisioterapeutas Rafael Holanda e Charles Vasconcelos e a diretora do Centro de Reabilitação, Sergiana Carvalho.


Fonte: Diário do Nordeste

« voltar às notícias